Satet

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Horus.jpg

Este artigo é egípcio! Ele foi escrito num pergaminho sagrado e seu escriba é um sacerdote mumificado.

Não profane este artigo, ou a maldição do Faraó irá cair sobre você!


Satet mostrando o seu corpo anoréxico e seu belo chapéu de chifres, presente de seu marido Khnum.

Cquote1.png Você quis dizer: Satélite? Cquote2.png
Google sobre Satet
Cquote1.png Experimente também: Bastet Cquote2.png
Sugestão do Google para Satet
Cquote1.png Amadora! Cquote2.png
Deméter sobre Satet
Cquote1.png Por pouco não é minha xará! Cquote2.png
Bastet sobre Satet

Classificação[editar]

Satet é a deusa da agricultura, do campo, dos pastos, das matas virgens, das ervas daninhas e de qualquer outro matagal que seja bem produtivo para a reprodução alimentícia, familiar, ou mesmo somente para se dar uns pegas entre os arbustos.

Pertencente na empoeirada e mumificada Mitologia Egípcia, é a esposa do deus criador do homem (assim como outros milhões que disseram ter feito isso, como , que vive a falar a mesma coisa), Khnum, e tem por filha a ninfeta Anuket, a deusa egípcia da putaria, sexo e afins de parafilias.

Por mais incrível que pareça, ninguém tem ideia de como ela, como uma deusa (ainda mais da mitologia egípcia), teve somente uma filha em toda sua existência, já que sempre se tem em mente de que esses deuses poucos se importam em terem filhos, o importante mesmo é ter mais deuses no Panteão (sem falar que eles apelam até para o incesto afim de ter mais filhos).

Provavelmente (diferente, por exemplo, dos deuses gregos) ela fez um planejamento familiar com Khnum, restringindo o seu útero para somente uma filha e depois logo resolveu fazer a sua laqueadura, já que isso é muito melhor do que ficar parindo que nem um pobre, sabe-se lá se ela vai poder cuidar da criança no futuro.

Características divinas[editar]

Satet em sua forma para práticas de Zoofilia animal.

Ligada à fertilidade oriunda das enchentes do Rio Nilo, é Satet que faz com que as terras às margens do Nilo fiquem próprias para a agricultura, através dos seus poderes mágicos e outras macumbas em geral.

Sua imagem mais conhecida é a de uma mulher qualquer com um belo par de chifres na cabeça, haja vista que Khnum não é dos homens mais fiéis do mundo.

"Animalicamente", sua figura de quatro patas é um antílope ou mesmo de uma gazela, tal qual a sua filha Anuket, se bem que a filha é ainda bem mais pegável que a mãe para as práticas de zoofilia quando está nessa forma.

Assim como muitas divindades estão ligadas pela Flor de Lótus (que ninguém imagina o porquê disso, haja visto que nem bonita essa flor é), Satet é uma divindade que segura o talo da flor de Lótus, que ela utiliza como vibrador um cajado.

Ao entregar tal objeto de prazer que carrega para alguém, tal ornamentária torna-se como um amuleto de proteção e sacanagem, praticamente uma benção da deusa para com o presenteado (geralmente um homem, já que mulher não tem muita moral com ela).

Ver também[editar]