Tefnut

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Tutankamon.jpg

Este artigo é egípcio! Ele foi escrito num pergaminho sagrado e seu escriba é um sacerdote mumificado.

Não profane este artigo, ou a maldição do Faraó irá cair sobre você!


Cquote1.png Você quis dizer: Telefone? Cquote2.png
Google sobre Tefnut
Cquote1.png Experimente também: Celular Cquote2.png
Sugestão do Google para Tefnut
Cquote1.png AAARRRRGGGGGHHHHH! Cquote2.png
dando origem a Tefnut
Cquote1.png Puta falta de sacanagem! Cquote2.png
Tefnut sobre o modo em que nasceu

Classificação[editar]

Tefnut e Shu dentro do busão, indo para as Pirâmides (ou não).

Tefnut é uma das primeiras divindades surgidas na human... opa, humanidade o escambal Mitologia Egípcia, sendo filha direta e vomitada (literalmente falando) por , o deus criador de uma porrada de divindades, depois dele ter se masturbado e dado origem a Chu, que nasceu normalmente como qualquer outra criatura terrestre, mesmo que nenhum útero o recebesse e o formasse (WTF?).

Fazendo companhia ao seu irmão, Tefnut é a deusa que representa o ar frio do mundo, as nuvens carregadas e a humidade do ar, coisa muito útil principalmente em um deserto que era (e ainda é) o Egito, sendo ela tão reverenciada quanto Chu, porém, tendo mais alguns caprichos por ela ser uma mulher.

Ela também simbolizava a generosidade e as dádivas na vida, afastando a sede que seu irmão, o vento quente, vivia trazendo por aquelas bandas. Infelizmente, tal conforto não é feita é solo terreno, mas somente depois da morte (se bem que isso é meio ilógico, já que morto não come, não bebe e, principalmente, não vive - oras!). Mesmo com essa ilogicidade, o povo ainda gostava, e muito, de Tefnut, que se sentia a fodona do Panteão Egípcio por causa disso (até parece).

Características divinas[editar]

Se não fosse por aquela bagaça redonda na cabeça, Tefnut seria muito confundida com Sekhmet.

Sendo literalmente vomitada por seu pai, é claro que a aparencia de Tefnut não deveria ser das melhores em relação à estética (e não era mesmo, a mulher era uma tristeza). A imagem mais conhecida da deusa é a de uma mulher comum, sendo que geralmente ela era desenhada com uma cabeça de leoa, para simbolizar o seu sangue vomital real.

Porém, isso causava muita confusão, pois já havia uma deusa com cabeça de leoa, que é Sekhmet, complicando tudo na hora da leitura. Para descomplicar, em cima da cabeça de Tefnut era colocada um belo disco solar rodeado de serpentes, aí não tinha como confundir nenhuma das divindades.

Sendo feia, somente quem conseguiu amar a coitada era Chu, porém o cara era o seu irmão. Como incesto era algo comum por alí, acabou dando para ele, pois para ela era melhor do que morrer virgem.

Depois disso, ela já era mãe de Geb e Nut, a Terra e o Céu, respectivamente. Como esse dois viviam brigando, Tefnut ordenou pediu para que Chu fizesse alguma coisa, ou ela ficaria louca. O deus, pensando que suas noites de putaria acabassem sendo cortadas com a irmã, resolveu separar os filhos, jogando Nut para cima e Geb para baixo, ficando no meio, para que ambos não mais se pegassem no tapa.

Assim foi feita a separação do Céu e da Terra que perdura até hoje, se bem que Tefnut não moveu nenhuma palha para ajudar o marido, que continua separando os filhos até às nossas épocas.

Ver também[editar]