The Legend of Zelda: A Link to the Past

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Virtualgame.jpg The Legend of Zelda: A Link to the Past é um jogo virtual (game).

Enquanto isso, o Lobei dá choque em algum lutador.


The Legend of Zelda: Um Link para site pornô
The Legend of Zelda A Link to the Past cover.png

Capa do jogo

Informações
Desenvolvedor Nintendo
Publicador Nintendo
Ano 1991
Gênero plataforma
Plataformas Super Nintendo
Avaliação 7/10
Idade para jogar Menores de 10 anos

Cquote1.png Já chega!Num levo mais ninguém pro passado... Cquote2.png
Link sobre The Legend of Zelda: A Link to the Past
Cquote1.png Link sempre veste uma saia, e as mulheres sempre vestem saias Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre Link

The Legend of Zelda: A Link to the Past é aquele jogo do Super Nintendo que todo mundo tinha, e na pura falta do que fazer zerava 500 vezes. Conta a história de um pequeno gnomo chamado Link que precisa enfrentar dilemas típicos da puberdade em um mundo de perigos e calabouços a explorar. Esse é o único jogo de Zelda pra Super Nintendo (já que seu sucessor foi lançado pro Game Bosta). O jogo marca a estreia de Ganondorf, o Demônio Porco com o cabelo em chapinha, como um bom vilão FDP! Outros elementos marcantes da série que apareceram pela primeira vem em A Link to the Past foram a Excalibur Master Sword e a flauta doce Ocarina. É considerado por muitos o primeiro jogo de Zelda, porque os poucos que jogaram o The Legend of Zelda para o NES e o Zelda II: The Adventure of Link já estão mortos de velhice.

O jogo ainda faz revelações bombásticas para a série, como quando é revelado logo de cara que o velho Talon é o tio inútil de Link, e que todas aquelas trepadas com a Malon foram incestuosas.

Jogabilidade[editar]

As diferenças entre o Light World e o Dark World. Acima, no Light World há um capanga imprestável que se veste de rosa, enquanto abaixo no Dark World há um marombado estuprador, menos vegetais folhosos, uma água mais cagada que o Tietê, e o ar é enxofre com arsênico.

O jogo tem uma perspectiva aérea, com Link podendo ir pra cima, pra baixo e para os lados, bem similar ao primeiro jogo da série, mas com os gráficos mais apurados. O Hp ainda são corações, que começam com três mas pode chegar até vinte (haja coração!). Além disso há muita purpurina e muitas barbies colecionáveis, tudo para agradar o público infanto-juvenil da Nintendo que viria a ser o seu público-alvo desde então.

O motor gráfico trabalha sob o mesmo sistema dos jogos de Megamen de "shel infinitum", onde os capangas são infinitos e sempre retornam por mais que você os repetidamente mate, reforçando a tese que estamos num mundo horrível de pesadelo. Isso foi adotado para reprimir qualquer apologia a extinção de espécies que o jogo poderia causar, pois os animais da fauna que continuamente matamos sempre retornam, então não há problemas. Este motor recebeu o apelido de Engine Elfo 2.1, que é parente do Windows Update, ou seja, mudou P.N. (Porra Nenhuma).

A grande novidade porém, foi a existência de dois mundos paralelos, que são o "Light World" e "Dark World", onde Link encara pela primeira vez as diferenças do mundo de dia e do mundo de noite, e descobre que por exemplo que o simpático e atencioso padeiro de dia, pode ser uma drag queen de noite, ou então que aquela sua linda vizinha loira dos olhos azuis que vem pedir açúcar de dia pode ser aquela psicopata gorda que cospe fogo de noite, e assim por diante, usando um espelho mágico para viajar entre as diferentes dimensões do jogo.

Enredo[editar]

Link sentindo-se culpado por se masturbar pensando na Princesa Zelda.

Tudo começa quando Link tem um lúcido sonho erótico com a Princesa Zelda e ejacula pela primeira vez na flor de adolescência. Com o prazer daquele momento em sua memória Link começa a acreditar que o tal sonho é na verdade um sinal de convite de Zelda para uma maravilhosa noite de loucuras em seu castelinho encantado e, mesmo com seu tio safado, que mora com ele num casebre abandonado e dividem a mesma cama, pedindo para Link não ir até lá (pois queria tirar a virgindade da princesa antes dele), o gnomo de roupa verde resolve seguir seus desejos carnais e vai atrás da pequena princesa vadia para enfim desfrutar dos prazeres da vida.

Chegando ao castelo, porém, para chegar na princesa Link se vê obrigado a pegar a porta dos fundos (como qualquer bom amante faria) num calabouço do castelo entrando por uma moita onde os soldados costumam cagar... e lá encontra seu professorzinho arriado no esgoto, dizendo que desistiu de comer a princesa já que a pipa do vovô não sobe mais, e lhe entrega a espada o vibrador para usar na Zelda na sua primeira noitada com ela, antes de morrer de desgosto. Nisso Link descobre que Zelda costuma dar o rabo para um tal de Mago Agahnim, e decide assim ir resgatar a loirinha de seus sonhos, achando-a num calabouço prestes a ser violada por um malandro que só sabe ficar girando a porra de uma bola de aço. Mas nada que Link não possa superar afim de matar sua fome insaciável pela princesa, e Zelda não só é salva, como é levado para o escurinho atrás do trono.

Link levando a Zelda pro escurinho.

Depois de salvar a Zelda pela vigésima vez, Link descobre que só vai conseguir uma noite de amor se conseguir encontrar o Vibrador Master (Master Sword, no original) que está escondido no meio da selva amazônica, e para tal ainda precisa adquirir as "Três Pastilhas de Hortelã para Garganta da Virtude!" para a Princesa Zelda fazer sexo oral e dar beijo na boca, coisa que está recusando por estar se queixando de mal hálito. Infelizmente, depois de tanta aventura e aulas de sexologia com alguns velhos experientes para coletar as tais pastilhas de hortelã e o Vibrador Master, a idiota da Princesa Zelda é raptada por Agahnim pela décima vez só no mesmo jogo, tarado que a leva para uma cama de motel em outra dimensão, e enquanto Link fica tomando chifre ele precisa correr atrás do vilão para que sua galhada não fique ainda maior.

Sem apoio, Link pede ajuda a um velho tarado chamado Mestre Kami Sahasrahla, cujas habilidades com a mão direita tinha conhecimento de todos os hentais existentes da Princesa Zelda, da Princesa Peach e da Samus Aran, e com toda essa sabedoria o velho se prontifica a ajudar Link a encontrar Zelda, alegando que para entrar no motel de Agahnim ele deveria levar 7 Virgens Sagradas Safadas para o local, ou seja, que só fazem oral e anal (para se manterem virgens né, sendo safadas), o que chamaria atenção do mago tarado que abriria as portas para Link.

O problemas é que essas virgens safadas estão todas num bairro de má fama chamado Dark World, um local habitado apenas por safados, maloqueiros, drogados, mendigos, indigentes e estupradores em geral, e para piorar, toda vez que Link vai para Dark World ele é transformado num inofensivo mascote da Duracell que só sabe apanhar, e a única forma de evitar que ele vire essa aberração furry é coletando todos os malditos itens especiais das dungeons anteriores.

É então que a verdadeira aventura começa, porque achar virgens safadas não é tão fácil quanto parece, pois as safadas já perderam o cabaço há muito tempo, enquanto as virgens são teoricamente inexistentes. Link precisa visitar bocas-de-fumo, prostíbulos, boates de strippers, a Casa da Mãe Joana e o Caralho a Quatro para achar essas vadias, sem contar que num dos casos ele ainda é enganado por uma travesti e quase termina enrabado.

Após Link desafiar todas as leis da lógica derrotando todo tipo de chefão gigante grotesco, ele descobre que tudo não passava de um plano do puto do Ganondorf que já demonstrava claramente seu fetiche por harens de mulheres raptadas. Ambos lutam epicamente numa pirâmide do Egito, até Ganon enjoar e dizer que volta no próximo jogo.

Depois de resgatar a Princesa Zelda, ela finalmente recompensa Link com o honrado título de herói... nada mais...

Lugares[editar]

Light World[editar]

Link entregando cogumelos alucinógenos à bruxa para ela fabricar maconha.
Hyrule Castle

Castelo cheio de soldados inúteis protegendo um nada, já que a Princesa Zelda está longe dali e o trono está vazio.

Kakariko Village

Pacata aldeia com meia dúzia de casas, é a maior e única cidade de Hyrule. É lá que estão o vendedor de drogas, o vendedor de armas e as sex shops. O bar onde se concentra a boemia do jogo também fica em Kakariko Village. A cidade tem também um curioso habitante que passou o jogo todo doente, além de uma árvore cheia de abelhas assassinas, e ninguém nunca chamou o dedetizador. Na periferia norte fica a prefeitura e o prefeito que não faz nada além de ver o vento, e também um charlatão que cobra para ver o óbvio futuro de Link. Ao sul há uma biblioteca (sempre vazia) que a população analfabeta se nega visitar.

Death Mountain

Localizada ao norte de Hyrule. Essas hostis montanhas despejam pedras nos seus visitantes 24 horas por dia e sempre garantem algum dano à Link. É lá que vive o velho sábio que dedica seus dias a bater punheta.

Lost Woods

Espécie de selva amazônica ao norte de Kakariko Village, esse labirinto leva você a itens mais importantes do jogo, como a Master Sword e o Cogumelo Alucinógeno.

Lake Hylia

Uma poça ao sul que ninguém nunca vai visitar... Está ali para ocupar espaço no mapa.

Eastern Palace

Ruínas localizadas a leste de Hyrule onde vive um velho eremita que conhece tudo dos hentais de Zelda. Nesse local é possível encontrar estátuas ambulantes e calabouços diversos.

Swamp Ruins

Ao sul da casa de Link há um pantanal onde vivem os mosquitos do jogo e muitos pedaços de coração naquele grande espaço aberto.

Desert of Mystery

Deserto localizado a sudoeste do jogo onde vivem terríveis lagartos roliços gigantes que pulam da terra. Não há nada além de urubus chatos e um calabouço onde se encontra uma das Pastilhas de Menta da Virtude...

Zora's River

Rio que nasce a partir dos peidos do Rei Zora e desce pelo cenário até chegar na casa da velha bruxa que nos fabrica as nossas drogas sintéticas.

Kakariko Graveyard

O único cemitério do mundo, é habitado por algumas galinhas carniceiras e dois anões mórbidos que montaram uma ferraria ao lado do cemitério (terreno desvalorizado e barato).

Haunted Grove

É um mato onde um emo fica tocando flauta junto aos bichinhos da Floresta do Natal.

Link's House

A casa de Link, no centro de Hyrule e muito próxima do castelo, no lugar que teoricamente deveria o mais movimentado e valorizado, mas não é. A casa tem uma cama (apesar de Link viver com o tio... nem queira imaginar como eles dormem). É nessa mesma cama que Link dá sua primeira gozada pensando na Zelda. Como Link não pagou o IPTU a casa foi comprada (pelo Bomberman) por um mercador de bombas no Dark World.

Dark World[editar]

Samus Aran ficando um tempo no lugar de Link, que estava se masturbando pensando em Zelda nessa hora.
Pyramid of Power

Pirâmide demoníaca construído por Seto Kaiba nas aventuras de Yu-Gi-Oh!. Sofreu um ataque Kamikaze de Ganondorf na sequência final do jogo e torna-se o palco da batalha final pelo precioso cu da Zelda.

Village of Outcasts

Versão zumbi da Kakariko Village, é como fica chamada a vila depois de sofrer uma epidemia do T-Vírus de Resident Evil.

Palace of Darkness

Palácio localizado depois de um perigoso labirinto de urtigas e outros inimigos que causam coceira e irritação.

Skull Woods

Lost Woods habitada por caveiras e uma intrincada caverna subterrânea. É nela que está o primeiro travesti da história da Nintendo. A chefe desse perigoso calabouço que no início se demonstra ser uma jovem e bela ninfeta, mas quando ela levanta a saia mostra que não é bem uma mulher...

Mirror2.jpg Conheça também a versão oposta de The Legend of Zelda: A Link to the Past no Mundo do Contra:

Espelhonomdc.jpg