The Legend of Zelda: Link's Awakening

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Virtualgame.jpg The Legend of Zelda: Link's Awakening é um jogo virtual (game).

Enquanto isso, Mais um mangá Hentai de Touhou é publicado


Lenda de Zelda: Link está bêbado
The Legend of Zelda Links Awakening.png

Capa do jogo

Informações
Desenvolvedor Nintendo
Publicador Nintendo
Ano 1993
Gênero plataforma
Plataformas Game Boy
Avaliação 20%
Idade para jogar Desapropriado para todas as idades

The Legend of Zelda: Link's Awakening (Japonês: ゼルダの伝説 ぬれた夢の島, Zeruda no Densetsu Musei o Miru Shima; Original The Legend of Zelda: Link Gets Laid; Transl: A Lenda de Zelda: E o Link Perdeu a Virgindade) é mais um jogo da Nintendo, lançado em 1993, uma versão piorada de A Link to the Past feita exatamente para conseguir caber num cartucho de Game Boy, e por isso é uma porra tosca em preto em branco, e mesmo com aquele visual ultrapassado já era o quarto jogo da série The Legend of Zelda.

O jogo ganhou um remake para Game Boy Advance com o nome "The Legend of Zelda: Link's Arousal Dicks", com nenhuma adição a mais, apenas com cor e muitos mais desafios sexuais.

E além de tudo o jogo ainda deixa uma grande dúvida: Se a Princesa Zelda não aparece, por que o nome do jogo é Zelda com um ZELDA escrito grandão na capa?

Jogabilidade[editar]

Link em sua jornada para perder a virgindade.

O jogo possui a mesma jogabilidade terrível de A Link to the Past, só que ainda mais piorado e mais limitado após perder 3/4 da qualidade da versão para SNES. Tu sai andando por aí controlando um gnomo através de uma perspectiva aérea enquanto passa os dias molestando tudo que você encontra pelo caminho, entre Goombas, plantas-piranhas, ouriços do mar, amoebas vivas, diglets, pudins e Shy Guys.

O jogo oferece toda a famosa liberdade de exploração de uma ilhota chamada Tuvalu cujo tamanho cabe num poster, oferecendo várias opções de interação que variam desde molestar peixes a abusar de pobres galinhas usando-as para voar. Na sua sequência tediosa você pode gastar horas de sua vida atrás dos 1 milhão de itens adicionais.

O objetivo do jogo é tentar de todas as maneiras comer a biscate da ilha, uma piriguete chamada Marin, e para tal Link primeiro precisa se aventurar nos calabouços locais até aprender as três músicas a serem tocadas, que lhe serão muito úteis na hora da conquista do mulherio: A melodia do fracasso, a sonata do vomitar e a canção da ereção paudurescência matinal.

Enredo[editar]

Cena deletada na versão americana do jogo, onde Link espia as tetas da sereia Martha.

Link, frustrado por só conseguir um boquetinho da Princesa Zelda no final de A Link to the Past, decide então construir uma jangada e se lançar aos mares procurando o mítico Puteiro Perdido, para assim ver se ele finalmente saciava a sua libido. Mas como ele aprendeu a navegar com Pedro Álvares Cabral, Link eventualmente se perde e vai parar na Casa do Caralho, capital da ilha de Tuvalu. Lá chegando, todo moribundo, Link é resgatado por uma simples camponesa de nobre coração que vai todos os dias ao bosque recolher lenha de nome Marin (rascunho da Malon) e seu pai obeso Tarin (rascunho do velho Talon). O objetivo de Link no jogo passa ser perder a virgindade (afinal o oral da Zelda no jogo anterior não conta, ele precisa é de boceta), e para melhroar ainda mais as coisas a bela Marin aceita ajudar aquele pobre garoto virgem. Todavia, Link antes precisa encontrar os 6 vibradores mágicos para satisfazer as necessidades de preliminares da mulher, e assim parte em mais uma nova aventura.

Não sodomize ouriços com espinhos em casa. Lembrem-se, Link é um pervertido treinado.

Nessa ilha da fantasia na Oceania, chamada Koholint Island (コホリントトトトトトトトトトトト, Kohorintotototototototototototo-to) há apenas duas vilas, uma vila contem um shop, uma cama, um pesque-pague, uma cabine telefônica, uma livraria, uma casa e um puteiro. A outra vila é uma comunidade de furrys engajados em rituais macabros envolvendo bestialidade hentai com animais. Mas em nenhuma dessas cidades há sex shops, o que dificulta bastante a jornada do protagonista.

No centro da ilha há um ovo de galinha sagrado gigante, onde o grande objetivo do jogo é fazer um grande omelete com ele para saciar a energia sexual de Marin. Além disso, durante o jogo você também tem o auxílio da coruja ORLY? para te dar dicas sobre como melhor saciar uma mulher na cama.

No final do jogo decepcionante , mesmo após reunir os 6 vibradores mágicos, Link sente a pressão do momento e não consegue uma ereção na hora H, aliás já ali demonstrando todas suas tendências homossexuais (que só foi se assumir 20 anos depois em Breath of the Wild, e assim o heroi resolve viver para sempre com uma baleia indiana com um pau de dois metros e meio, do que comer a mina gostosa da Marin.

Link's Awakening DX e a Color Dungeon[editar]

5 anûs depois do lançamento deste jogo, a Nintendo presenciou Shigeru Miyamoto pegar uma crise de impotência sexual criativa, para alívio de sua secretária, que foi procurar um negão. Como a Nintendo não queria gastar a sua grana, Shigeru Miyamoto resolveu lançar o remake do Link's Awakening com o objetivo de arrecadar fundos para comprar Viagra. Foi então contratado uma criança de 5 anos para colorir o jogo e assim lançá-lo para o Game Boy Advance, Shigeru ainda resolveu colocar uma nova Dungeon, chamada de Dungeon Colorida, com o objetivo de atrair os infames coloridos.

Cquote1.png AAAAAAAAAAAAAAAAHHHHH, aMeiI a dAAgUnXX cuLoriDAXX *----* Cquote2.png
Fã de Restart e de Zelda sobre Color Dungeon

O prêmio por passar a Color Dungeon é a roupa vermelha e uma calça jeans rosa extremamente socada no rabo, que prolonga o tempo de ereção de Link. Ou a roupa azul, que tem o poder de invocar camisinhas.