Zelda II: The Adventure of Link

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Virtualgame.jpg Zelda II: The Adventure of Link é um jogo virtual (game).

Enquanto você lê, a gangue do CJ conquista mais um território em Los Santos.


Zelda II: Sexual Adventures of Link
Zelda II The Adventure of Link.png

Capa do jogo

Informações
Desenvolvedor Nintendo
Publicador Nintendo
Ano 1987
Gênero bug-móvel
Plataformas Nintendinho
Avaliação 0/10
Idade para jogar Livre

Cquote1.png Please let me help you. Come inside Cquote2.png
Puta oferecida sobre curar a disfunção erétil de Link
Cquote1.png I am error. Cquote2.png
icônico personagem do jogo sobre existencialismo

Zelda II: The Adventure of Link foi o jogo que sucedeu o primeiro e antiguíssimo The Legend of Zelda. Zelda II porém, a exemplo de sua versão anterior é terrivelmente mal feita e comumente esquecido pelas pessoas sensatas, recordado apenas pelos fãs mais hardcore. A ideia claramente era fazer um Super Mario em side-scrolling, mas com um gnomo no lugar de um encanador, e bichos chatíssimos no lugar das tartarugas, mas como tentaram enfiar um RPG no meio disso pra imitar Final Fantasy, o resultado foi um lixo quase inexplicável. Não se conhece no mundo alguém capaz de jogar mais de 20 minutos essa joça sem enjoar.

Produção[editar]

Link dentro da Lost Woods enfrentando uma aranha que desafia a lógica da biologia e um cachorro que desafia a lógica da compreensão geral.

A ideia inicial na criação do jogo era produzir algo propositalmente da maneira mais retardada possível, pois as pesquisas apontavam que a maioria dos retardados eram filhinhos de papai e conforme essas pesquisas eram os principais donos dos consoles NES na época, e de acordo com essa lógica comprariam um jogo que fosse nerd e ao mesmo tempo incrivelmente retardado com coisas sem o menor sentido que só nerds raiz entendem. Zelda II, todavia, foi um fracasso por que retardados não gostam de jogos descaradamente retardados, mas sim disfarçadamente retardados.

Em Zelda II, ao contrário do jogo anterior The Legend of Zelda I, Link aparece melhor que um mero pixel verde, mas ainda é sem problemas confundido com um gnomo atropelado. Alguns acreditam que ele na verdade seja o Stalin de bigode raspado, disfarçado e foragido de Super Mario Bros..

Jogabilidade[editar]

Link enfrentando um poderoso e medonho dragão que cospe croassaints.

Zelda II foi uma mistura de Mario leproso com Metroid lagado com Link, um duende retardado como personagem principal. Este é o único jogo de The Legend of Zelda feito em 2D, mesclando missões toscas com jogabilidade de Super Mario e o advento de ganhar pontos de experiência como se fosse um Final Fantasy. As fórmulas de combate também são inspiradas descaradamente na jogabilidade de Castlevania, só que é tudo bugado de dar ódio em qualquer pessoa sã. Tanta mistura tosca faz explodir a cabeça de quem joga Zelda II.

É já a partir da criação de Zelda II que começa a se notar a maneira sem sentido como é lidada a linha temporal na série Zelda.

Enredo[editar]

Apesar de em Zelda I, Link, Ganondorf e a Princesa Zelda já se conhecerem e tretarem, todos os três acabam batendo a cabeça e ficam com amnésia, por isso em Zelda II eles três agem como se nunca tivessem se visto antes. Neste fabuloso jogo a Princesa Zelda é raptada pela segunda vez (apesar do costume de se escutar que Zelda foi raptada pela trilhonésima vez, em Zelda II, essa foi apenas a segunda vez mesmo. Para se ter uma ideia da antiguidade do jogo) e agora precisa ser resgatada antes que um porco gigante a estupre, o vilão Ganon que está apenas esperando Zelda acordar para meter a pica nela, mas a princesa como não é idiota, fica ali fingindo que está dormindo, assim mantém sua virgindade anal enquanto aguarda o enrolado do Link aparecer.

Para salvar a princesa cativa, Link, o herói mais abusado dos videos-games, tem que sair do cômodo de sua casa e ir se aventurar em cenários ridiculamente desenhados e porcamente habitados por hordas infinitas de inimigos, tudo para no final matar Ganondorf pela segunda vez (apesar do costume de matar o Ganon umas 100 vezes, nessa vez foi só a segunda vez mesmo).

A única cena de sexo em todos os jogos de Zelda.

Recepção[editar]

Zelda II: The Adventure of Link foi um jogo podre. Não bastou ser naturalmente podre ele também conseguiu a proeza de decepcionar os fãs de Zelda que são considerados os fãs menos exigentes no mundo gamer e acham qualquer lixo de Zelda a melhor maravilha do mundo, afinal são habituados a coisas podres já que são nintendistas, mas Zelda II foi tão podre que nem os zeldamaníacos tem coragem de jogar ou elogiar.

Por outro lado, poucos sabem, mas a ideia na criação de Tibia surgiu inspirada na alta baixa jogabilidade de Zelda II, o que explica porque mesmo sendo uma bosta, Zelda II é relativamente reverenciado mesmo assim.